biologia molecular - Pesquisadores italianos "acordaram" microorganismos adormecidos num meteorito de 4,5 bilhões de anos
Esta página já teve 114.572.285 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.789 acessos diários
home | entre em contato
 

biologia molecular

Pesquisadores italianos "acordaram" microorganismos adormecidos num meteorito de 4,5 bilhões de anos

27/11/2003
 
AFP Photo/Universidade Federico II
Bactérias ETs são ressuscitadas
Pesquisadores italianos "acordaram" microorganismos adormecidos num meteorito de 4,5 bilhões de anos
Mil vezes menor que um milímetro, microorganismo extraído de meteorito volta à vida
 

Sente-se numa cadeira e preste muita atenção. Pode ser verdade, pode ser loucura, mas o fato é que cientistas italianos da Universidade Federico II em Nápoles anunciaram ao jornal Corriere della Sera haver ressuscitado bactérias extraterrestres que estavam dormentes há 4,5 bilhões de anos. Seu berço era um meteorito encontrado em 1882 na Transilvânia, atual Romênia, e conservado no Museu Mineralógico de Nápoles. "Ao analisá-lo, nós o colocamos em contato com uma solução fisiológica. E nos demos conta que microorganismos tornaram-se visíveis e começaram a se mover", revela o professor de geologia Bruno Dargenio, de 65 anos. "São bactérias que caíram do espaço", acredita o cientista.

AFP Photo/Ciro Fusco
Achado na Transilvânia em 1882, esse meteorito é o berço das bactérias ETs

Batizadas de cristalomicróbios (ou cryms), as bactérias são de sete ou oito tipos. Mil vezes menores que o milímetro, assemelham-se às arqueobactérias, as mais antigas formas de vida que habitam nosso planeta e que sobrevivem nas chaminés termais fincadas no solo oceânico - aonde a luz do sol nunca chega e a escuridão é eterna. A descoberta, se comprovada, tem o potencial de provar que a origem da vida é extraterrestre. Nem mais nem menos.


AFP Photo/ANSA/Filippo Monteforte
Giuseppe Geraci exibe uma foto das bactérias escondidas na rocha de 4,5 bilhões de anos
Desde o anúncio feito em 1996 pela Nasa da descoberta de supostas bactérias fósseis num meteorito marciano achado na Antártida, a comunidade científica mundial começou a devassar todas as hipóteses possíveis para comprovar a existência de vida fora da terra. É aí que se insere o trabalho de Dargenio em colaboração com o biólogo molecular Giuseppe Geraci, também professor na Universidade Federico II. Além do meteorito romeno, eles encontraram bactérias similares em mais de 50 rochas sedimentares (como calcário) e ígneas (como granito) com idades entre 1 milhão e 2,3 bilhões de anos e provenientes de regiões como a Itália, a Europa Central e o Canadá.


AFP Photo/Universidade Federico II
O DNA das bactérias ETs é de um gênero novo, diferente dos 18 mil já conhecidos
"A probabilidade das rochas terem sido contaminadas por micróbios terrestres é muito baixa", garante Giovanni Bignami, diretor científico da Agência Espacial Italiana. "As amostras foram esterilizadas a 950 ºC mas as bactérias sempre voltavam a ressuscitar". No momento em que começaram a se multiplicar, as bactérias ETs foram colocadas em soluções de cultura dentro de tubos de ensaio. O passo seguinte foi analisar seu DNA, que é parecido com o das arqueobactérias, porém de um gênero diferente do 18 mil gêneros de bactérias terrestres.


AFP Photo/Universidade Federico II
Os micróbios do espaço são parecidos com as arqueobactérias, as formas mais antigas de vida da Terra e que vivem no solo oceânico
Segundo Bignami, a descoberta dos biólogos napolitanos é a mais forte evidência para sustentar a tese da origem extraterrestre para a vida na Terra. Agora só falta fazer a comunidade científica aprovar os resultados. Ou desqualificá-los. De qualquer modo, dada a tremenda importância da pesquisa, essa história fantástica ainda vai dar muito pano pra manga.


AFP Photo/Universidade Federico II
A hipótese de que a vida tem origem extraterrestre é antiga e ganha novo impulso a partir de agora

Leia também:

Estudo aponta origem da vida no espaço
http://istoedigital.terra.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos