Minerais - Zinco e dor
Esta página já teve 115.947.282 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.699 acessos diários
home | entre em contato
 

Minerais

Zinco e dor

22/02/2004

 

 

O zinco é um dos minerais que participa dos chamados oligoelementos (significa quantidade pequena na alimentação) mais importantes para o
organismo. Só para se ter uma idéia, a necessidade diária de Zinco é de 10 a 100 vezes maior que a de outros minerais, como por exemplo o cobre, alumínio, etc..., sendo comparada às necessidades diárias de ferro.
O zinco não é produzido pelo organismo, deve ser então adquirido de fontes externas (alimentação ou suplementação). O Zinco é fundamental para o adequado funcionamento do sistema imunológico, para o processo de cicatrização de feridas, para a manutenção da capacidade gustativa e olfativa. Também tem papel essencial para o crescimento linear, prevenção do Stress Oxidativo e Sistema Nervoso. A deficiência de Zinco compromete o funcionamento normal do sistema imunológico aumentando a suscetibilidade aos processos infecciosos. É encontrado em todos os órgãos, mas sua concentração é particularmente elevada no pâncreas, no fígado, na pele e nos fâneros (pelos, cílios, cabelos). No sangue, ele está ligado às proteínas e aos aminoácidos. As necessidades em zinco são estimadas pela maioria dos países em 15 mg por dia. A alimentação normal equilibrada deveria conter a dose certa desse elemento. O organismo aproveita unicamente de 5 a 10% do zinco contido na alimentação. O estudo de sua biodisponibilidade é importante, pois há certas substâncias existentes na alimentação que modificam sua absorção.
Há uma competição zinco-cobre, ou zinco-cálcio, ou ainda zinco-ferro. É importante suplementar sistematicamente as grávidas, pois nesse estado se torna mais difícil a absorção de zinco. Os produtos mais ricos em Zinco provém do mar: água do mar, ostras e as conchas. Depois vem as carnes, gema do ovo, nozes e o feijão. Parece que a qualidade das proteínas influi na utilização do zinco contido no alimento: por exemplo, o zinco é mais facilmente disponível no leite da mulher que no da vaca. É interessante lembrar que a carência de zinco, segundo alguns autores, provocaria diminuição da defesa imunitária (contra vírus, notadamente o da Herpes) e devido a estes distúrbios de imunidade, poderia favorecer certos tipos de neoplasias. Na última década, as pesquisas neurofisiológicas sugerem que o zinco participe do mecanismo de produção de dores em geral. Isso porque, esse oligoelemento da alimentação é encontrado dentro do cérebro em estrutura que tem ligação com a percepção da dor (isso chama-se nocicepção, ou seja, reconhecimento de uma dor causada por um mecanismo de agressão).
A. O. Rosa e colaboradores, do Departamento de Bioquímica, da Universidade Federal de Santa Catarina, fizeram estudos em animais nessa área tendo mostrado que o zinco tem essa participação quando está muito aumentado ou deficitário, ligado aos receptores de NMDA que atuam na presença de óxido nitroso.

 

Behav Brain Res. 2003 Sep 15;144(1-:87- 93).


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~