Diabete/Diabetes - Controle da glicemia pós-prandial reduz os riscos cardíacos em pacientes com diabetes
Esta página já teve 115.023.015 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.743 acessos diários
home | entre em contato
 

Diabete/Diabetes

Controle da glicemia pós-prandial reduz os riscos cardíacos em pacientes com diabetes

22/02/2004

 

 

Os cientistas defendem uma mudança fundamental no diagnóstico e no tratamento da diabetes para reduzir efetivamente os riscos de doenças cardiovasculares.

Com objetivo de promover novas recomendações para o tratamento do Diabetes, especialistas internacionais norte-americanos, europeus e japoneses criaram o Grupo Internacional de Estudo do Controle da Glicose Pós-prandial. O grupo tem como finalidade incluir o controle da glicose pós-prandial no tratamento convencional do diabetes, para reduzir efetivamente os distúrbios cardiovasculares e outras complicações relacionadas à doença.

A glicose pós-prandial (PPG) é a medição do nível de glicose no sangue de uma pessoa duas horas após uma refeição. Uma pesquisa recente revelou o que muitos profissionais da área médica já defendiam: os altos níveis de glicemia pós-prandial podem elevar os riscos cardiovasculares em pacientes com diabetes, uma das complicações mais comuns entre os portadores da doença.

Evidências do estudo DECODE mostraram que os pacientes com diabetes com altos níveis de glicose pós-prandial estão sujeitos a um risco maior de sofrer um episódio cardiovascular do que aqueles com níveis elevados de glicemia de jejum (antes da refeição). Este resultado sugere que os níveis de PPG são um indicador melhor de riscos cardiovasculares, do que os altos níveis de glicose de jejum.

"O controle dos níveis de glicemia pós-prandial é crucial para o tratamento do diabetes e para a redução do risco cardiovascular. No entanto, esse aspecto vem sendo negligenciado durante anos", afirma o prof. Antonio Ceriello, presidente de Medicina Interna da Universidade de Udine (Itália) e presidente do Grupo.

Para os membros Grupo Internacional de Estudo do Controle da Glicose Pós-prandial, os profissionais da área médica deverão estar atentos aos níveis de glicemia pós-prandial, juntamente com as taxas de glicemia de jejum (FPG) e Hemoglobina glicosilada (HbA1c) para o progresso no tratamento do diabetes. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a doença deverá atingir até 2030, 370 milhões de pessoas em todo o mundo.

As medições recomendadas são:

1. Glicemia pós-prandial (PPG) - determinação de glicose no sangue 2 horas após uma refeição.
2. Glicemia de jejum (FPG) - determinação de glicose no sangue 12 horas após uma refeição.
3. Hemoglobina glicosilada (HbA1c) - determinação da concentração média de glicose no sangue. Este exame espelha a média da taxa de glicose no sangue nos últimos três a quatro meses.

"Nossa tarefa é assegurar que os profissionais da área médica em todo o mundo tenham acesso às informações e ferramentas mais atualizadas para o tratamento do diabetes. Muitos portadores de diabetes estão morrendo devido às conseqüências relacionadas com as doenças cardiovasculares. Está claro que as abordagens dos tratamentos tradicionais precisam ser atualizadas e a glicose pós-prandial é o próximo passo no tratamento do diabetes", completa o prof. Ceriello.

O DIABETES NO BRASIL

  • O Brasil possui atualmente cerca de 10 milhões de portadores de diabetes, sendo que a metade destes indivíduos desconhece que possui a doença.
  • O diabetes Tipo 2 representa 90% dos casos.
  • É a 4ª principal causa básica de morte no Brasil.
  • É a principal causa de cegueira adquirida.
  • Os pacientes com diabetes têm chance 2-4 vezes maior de desenvolver doença coronariana e acidente vascular cerebral, quando comparados aos não-diabéticos.
  • Os pacientes com diabetes têm chance 17 vezes maior de desenvolver doença renal, sendo o diabetes responsável por mais de 30% dos casos de insuficiência renal em programas de diálise.
  • Os portadores de diabetes têm chance 40 vezes maior de sofrer amputações nos membros inferiores. Vale dizer, que o diabetes é a primeira causa de amputação não traumática.
  • Entre 60% e 70% dos pacientes com diabetes evoluem para a neuropatia.
  • Entre 80% e 97% dos pacientes com diabetes evoluem para a retinopatia.
  • Entre 70% e 80% dos pacientes com diabetes apresentam excesso de peso.

O Diabetes no Mundo

  • A Organização Mundial da Saúde, estima que até 2030, a população mundial com diabetes atinja 370 milhões de pessoas

Novo Nordisk®

A Novo Nordisk®, sediada na Dinamarca, é uma empresa voltada para o cuidado com a saúde e líder mundial no tratamento do diabetes. A empresa possui o maior portfólio de produtos para diabetes na indústria, incluindo os mais avançados sistemas de aplicação de insulina. A Novo Nordisk® ainda tem forte atuação em áreas como distúrbios de coagulação e do crescimento e terapia de reposição hormonal. A companhia fabrica e comercializa produtos farmacêuticos e oferece serviços que fazem uma diferença significativa para os pacientes, profissionais médicos e sociedade. A Novo Nordisk® emprega aproximadamente 18.700 pessoas em 68 países e seus produtos são comercializados em 179 países.

Visite o site: www.novonordisk.com.br

NOVO NORDISK

Mais informações para a imprensa:
LVBA Comunicação (www.lvba.com.br)
Adriana Amiralian Longo - (adriana@lvba.com.br) - Tel.: (11) 3039-0688
Valeria Allegrini - (valeria@lvba.com.br) - (11) 3039-0661
Danubia Teixeira - (danubia@lvba.com.br) - (11) 3039-0680
Dezembro/2003


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos